sexta-feira, 24 de julho de 2009

Poesia concreta

Cimento

Areia

Brita

Água

Na bitoneira

3 comentários:

Reticências disse...

Fala moçada, pois é, apesar de não ter escrito com este fim (com a alma de pedreiro), rolou uma feliz coincidência, nem que seja por dois segundos, quero dizer, duas linhas, dá uma sacada neste poema que escrevi em dezembro de 2007 / http://latentesviagens.blogspot.com/search?updated-min=2007-01-01T00%3A00%3A00-08%3A00&updated-max=2008-01-01T00%3A00%3A00-08%3A00&max-results=33

Crala disse...

kkkkkkkkkk........

mais concreta impossível!

R.F. disse...

Literalmente concreta....

Hahahahahaha!